E n v o l t u r a S

21 fevereiro 2007

OLHOS NEGROS

Não lembro o dia,
nem tampouco lembro o ano,
já faz muito que eu vi
os olhos mais tristes do mundo

ao cruzarem com os meus,
suplicaram desejar
que um poeta descrevesse
a tristura desse olhar

na linguagem escrita
sem distorcer sua expressão
expressei sem exageros
seu triste pedido então

era um pedido simples
pessoal e apaixonado
o guri dos olhos negros,
queria por mim ser amado

para falar ao guri,
triste e amargurado,
poetizei mais de mil linhas
de nossos segredos guardados

falei-lhe um pouco de mim,
de meu solitário mundo,
de meus sonhos, de meus medos,
meus desejos mais profundos

disse-lhe que seus olhos negros,
quando depositados em mim
estremeciam minha alma
deixando-me frágil assim

foi o início de nossas obras,
nossos salmos,
nossos cânticos...

um passeio pelo espírito,
em versos latinos,
líricos, brancos...

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home