E n v o l t u r a S

23 fevereiro 2008

OFICINA

Fecha o poema
deixa a poesia guardada
acorrenta esta estrófe
naquele poste da rua
coloca a chave
debaixo desta calçada
abotoa agora a rima
da consoante alternada
passa a limpo
o rascunho da brisa
no terceto da madrugada
prende o verso Alexandrino
na rima intercalada
cria além da quadra
a poesia do quarteirão
trafega na ambulante palavra
a arte dos teus escritos
prende-a na liberdade
dos soltos versos do Chico
leva o Oliveira até
aquele curto verso
que o Capitão Bandeira
decantará no congresso
verseja umas imagens
em registros por escrito
avisa a humanidade
que poema é coragem
se preferir, fira
se não quiser, grita:
que POESIA
é estilo de VIDA!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home